Workshop – Writing Techniques – Escola da AGU

Prof. Thiago Calmon ministrando aos Procuradores e participantes.

 

Na última sexta-feira, 26 de maio de 2017, aconteceu na Escola da AGU - SC, um Workshop de Inglês Jurídico, cujo tema era Writing Techniques - Técnicas de Escrita.

 

No Workshop foram trabalhados diversos temas dentro da escrita em inglês; no entanto, as técnicas mencionadas e discutidas podem ser aplicadas ao nosso Português e também para outros idiomas.

 

Questões relativas a concentração, produtividade, e formatação do texto, além da apresentação de novas tecnologias, chamaram a atenção dos Procuradores e demais participantes; resultando em um período agradável de aprendizado e desenvolvimento.

 

A Escola da AGU, coordenada pela Doutora Vania Faller, tem trabalhado em parceira com o Instituto de Inglês Jurídico Thiago Calmon, com o objetivo de promover uma série de Cursos em inglês e Workshops para o desenvolvimento da instituição e da comunidade.

 

Instituto de Inglês Jurídico Thiago Calmon

 

Inovar no Direito é conhecer um outro idioma além do juridiquês – sobre a importância do domínio do inglês nos Tribunais

 

Profissionais da área jurídica normalmente são conhecidos pelo emprego de linguagem formal e técnica, inclusive em suas relações sociais. Basta observar um acadêmico que, já nos primeiros semestres do curso, além de adotar trajes mais conservadores, usa um vocabulário rebuscado, com o objetivo de demonstrar mais formalidade e técnica em suas manifestações orais e escritas.

 

Entretanto, essa postura adotada até então como forma de diferenciar os juristas dos demais profissionais está perdendo o seu valor distintivo. Isso porque, a dificuldade em se fazer compreender tende a afastar e até impedir que os jurisdicionados realizem a interpretação correta dos seus direitos e obrigações.

 

Essa linguagem conhecida como juridiquês, que parece ser absorvida com naturalidade pelos operadores jurídicos, tendo dado lugar à uma escrita mais leve e compreensível nas decisões judiciais e leis, a fim de diminuir controvérsias interpretativas e inserir o seu conhecimento na sociedade, de modo igual em todas as suas camadas e classes.

 

Além dessa tendência de facilitar o entendimento da linguagem jurídica, percebe-se uma destacada importância para o uso de outra língua na atuação do profissional do Direito. Cada vez mais se mostra diferencial o domínio do conhecimento do idioma inglês para atendimento de determinadas demandas. Assim como no estudo do português, os termos técnicos exigem a especialização do inglês jurídico.

 

Nessa corrente, muitos Tribunais de Justiça incentivam os magistrados à dedicação do estudo desse idioma, e renomados escritórios de advocacia têm inserido esse critério como diferenciador na seleção de profissionais para ingressarem em seus quadros. Até nesse ponto, o Direito não vai socorrer quem não procura melhorar sua qualificação para oferecer um serviço no estilo “boutique”.

 

Como exemplos de atuação, o novo mercado de demandas está se distanciando das principais discussões jurídicas, com questões como direito das tecnologias, contratos mercantis internacionais, tributação sobre importação, fusões e aquisições de empresas, etc. O boom das startups é prova de que o inglês jurídico deve ser bem aplicado por advogados e juristas para englobar todas as problemáticas, inclusive de outros países.

 

Ademais, com o reconhecimento e até preferência pela adoção de soluções alternativas de conflitos, a mediação internacional com empresas como Facebook, e até o entendimento de legislação extraterritorial sobre os cibercrimes, são excelentes oportunidades que, somente quem dominar o inglês, poderá atuar com segurança e excelência.

 

Nessa coluna abordaremos diversas temáticas internacionais, que poderão ser bem compreendidas por quem se qualificar no inglês jurídico, e servirão de provocação para quem quiser entender sobre essa nova necessidade do mercado de demandas do Direito. O próximo assunto será mediações internacionais e soluções negociais inovadoras, e, para tanto, usaremos esse idioma tão importante no cenário atual. See you later!  

 

Dra. Naiara Czarnobai Augusto